Select the language

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Chave da felicidade: equilíbrio

A chave da felicidade é o equilíbrio nas relações interpessoais.

Você deve conhecer 1ª Coríntios 13, que é muito bem identificado como o capítulo do amor. E deve se lembrar que na descrição de amor, Paulo escreveu "o amor não busca seu próprio interesse".

Pois bem, são muitas as pessoas que pensam que ser praticante do amor é viver sofrendo, fazer outros felizes sem nunca encontrar a felicidade.

Não sei se você pensa desse jeito, mas preciso dizer que pensar assim é um erro. Por quê?

Porque, primeiro, existe o ciclo ação e reação, a lei da semeadura. Quem não é interesseiro, quem não é egoísta, quem não é egocêntrico, planta coisas boas. Então, no tempo certo colherá tudo de bom que semeou.

Em segundo lugar, porque Jesus mandou todos os cristãos serem equilibrados ao se relacionarem uns com os outros. O mandamento equilibra os relacionamentos quanto ao uso do amor. É: "amai o próximo como a si mesmo" (Lucas 10.25-28; Gálatas 5.14).

Portanto, praticar amor não significa viver humilhado, viver se rebaixando. Esta atitude de inferioridade não é prática de amor, segundo o que Deus quer de nós. Todos devemos buscar a felicidade dos outros e também a própria, o bem-estar do semelhante e também o bem-estar pessoal.

E, é preciso equilibrar-se sempre observando se estamos nos comportando de acordo com as orientações bíblicas (Salmo 119.105).

E.A.G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário